19 de outubro de 2009

Caim Caim Caim

Caim, o mais recente romance do Nobel José Saramago, promete fazer correr muita tinta. Mas não só tinta. Não tanto pelo tema do livro, mas mais pelas recentes declarações que o Nobel proferiu, assumindo uma posição anti-judaico-católica basista e num tom que lembra o antigo nacional-conformismo-comunismo. Se tal não bastasse, o clericado visado não se calou e vai daí decide defender a sua dama, o que ao invés de abafar o livro, o tema e as declarações, vai exponenciar o seu sucesso. Não é a primeira vez que o Nobel José Saramago causa polémica nos seus livros. Não é a primeira vez que autoridades clericais visam o Nobel José Saramago. Contudo, enquanto autor, ele pode recriar o que quiser e bem entender. Enqanto cidadão, devia conter-se nas palavras. Ou por outras palavras, as palavras de Saramago esvaziam a cultura ocidental das suas próprias raizes. Esse vazio será, a bem ou a mal, preenchido por outra cultura ou mesmo religião que esteja em vantagem. Enfim, serão meros arrufos de crianças ou cenários quase possíveis no futuro?

5 comentários:

Tiago R. disse...

"Enquanto cidadão, devia conter-se nas palavras". Homessa! Porquê? Sabe que a liberdade de expressão também se aplica aos cidadãos, não sabe?

Entretanto, tentar reduzir as raizes da cultura ocidental ao cristianismo além de redutor é verdadeiramente errado. Sabe concerteza que se trata de uma religião oriental que pouco ou nada tem a ver com o substrato cultural europeu.

Anónimo disse...

Caríssimo,

Não é tanto enquanto cidadão que ele não pode dizer aquilo. Enquadremos as declarações na responsabilidade moral e intelectual que tem o Nobel Saramago.

Quanto a reduzir as raízes da cultura ocidental ao cristianismo, não são palavras minhas. Eu falei de raizes no plural. E sei concerteza qual é o substrato cultural europeu. E muito bem. Apenas que as civilizações/povos evoluem e mudam em toda a linha da sua existência. Eu sou agnóstico, mas não menosprezo a Religião em que fui crescido. Saramago, assim como os PC's, são agnósticos idem, mas não suportam o Cristianismo. Serão eles que vão perpetuar a espécie e a cultura ocidental??? É uma pergunta, não veja nela uma afirmação.

Luís Almeida disse...

O comentário acima é meu obvimente.

Paula disse...

Olá Luís,
Também fiz um post sobre Saramago hoje. Como era de esperar, Saramago causou polémica e foi convidado por um eurodeputado a renunciar à nacionalidade portuguesa. Os comentários no blogue foram interessante :) se tiver curiosidade passa lá e deixe o seu também...
Quanto ao que Saramago diz em relação à religião Católica, não me afecta embora eu seja Católica praticante. Há que saber avaliar a posição dos outros e respeitar :)
Estou desejosa para ler CAIM :)
Cumprimentos :)

Tiago R. disse...

Eu não odeio o cristianismo. Apenas desprezo a manipulação política feita a partir da mensagem de um homem bem intencionado.