1 de dezembro de 2008

Iberians, why not?


3 comentários:

paula disse...

gosto muito do português para ceder à ideia de Ibéria. Não estou a ver os espanhóis a falar português...

Rui Gamboa disse...

Não concordando com a ideia de uma União Ibérica, convém dizer que se tal projecto alguma vez se concretizasse, a língua portuguesa não teria forçosamente de desaparecer. Aliás, Antero foi, numa fase inicial da sua vida, a favor da União Ibérica, mas não contra o desaparecimento do português, que aliás ele tão bem escreveu. Os exemplos de línguas vivas na Espanha, além do castelhano, são prova que uma união política é possível com muitas línguas.

Anónimo disse...

pertencer-se a uma grande ibéria não é, nem de perto, nem de longe, perder-se a identidade, desde o fado à tabera...